quinta-feira, 31 de março de 2011

GOOGLE EARTH 6

Vale a pena baixar essa ferramenta de navegação no seu PC.

No Google Earth 6 você pode "viajar" pelo Mundo, "vai" a Marte, à Lua e pode contemplar todas as Constelações do nosso Sistema Solar.

Veja alguns exemplos:

Minutos antes dessa postagem, observei a cidade onde nasci da altitude de 5.000 metros.



Reduzi a altitude até poder identificar a casa onde vim ao mundo.  Hoje uma ruína e  pertencente ao ex-governador Paulo Souto. Foi consumida por um incêndio em 2006.  Coloquei um marcador na casa.


Em segundos, saí de Canavieiras e fui à cidade onde passei a maior parte da minha vida. Visualizei (de cima) um dos locais onde passei muitas tardes de domingo  - o Complexo Desportivo do Maracanã. Na imagem, vê-se o Estádio Mário Filho, o Estádio de Atletismo Célio de Barros, o Ginásio Gilberto Cardoso (Maracananzinho) e o Parque Aquático Júlio  de Lamare.



Como morei na Tijuca por mais de 9 anos, saí do Maraca pegando a Rua Barão de Mesquita e fui até o seu cruzamento com a Rua Uruguai.  Lá, identifiquei o edifício onde morei na Rua Uruguai e coloquei um marcador.


Utilizando o recurso do Street View, desci ao nível do solo e salvei uma imagem da Rua Barão de Mesquita a partir do cruzamento com a Uruguai.  A foto que se vê mostra o trecho da Barão de Mesquita que vai da Uruguai na direção do Maracanã.


Dei um giro à esquerda e salvei uma imagem da Rua Uruguai, no trecho entre a Barão de Mesquita e a Av. Maxwell, já indo na direção de Vila Isabel.




Em alguns lugares, é possível "caminhar" pelas ruas utilizando o Street View.  Nesse trecho da Rua Uruguai (acima), não é possível "caminhar" na direção da Maxwell, mas dando um giro de 180º pode-se seguir na direção contrária, que cruza a Av. Maracanã e a Conde de Bonfim, já no coração da Tijuca.

Para baixar o Google Earth 6 clique no link  http://www.google.com.br/intl/pt-BR/earth/index.html  ou digite "google earth 6 download" no Google e pesquise.

CARTUNISTAS DE TODO O PAÍS HOMENAGEIAM O ZÉ


  CLAYTON - O POVO

dccx

  MAZONAS EM TEMPO


regi118

 SERI - DIÁRIO DO ABC


auto_seri54

 FRANK - A NOTÍCIA


auto_frank153

 CLAYTON - O POVO


clayton317
BELLO - TRIBUNA DE MINAS


bello312

quarta-feira, 30 de março de 2011

GUERRA DE ÚLTIMA GERAÇÃO

As mais avançadas armas de guerra do mundo moderno são dependentes de um sistema composto por 24 satélites que orbitam ao redor da Terra.  Esse sistema   -  NAVSTAR  -  pertence ao Departamento de Defesa Norte-Americano (Department of Defense  -  DoD).  A partir de 1980, seu uso civil foi liberado, dando surgimento a uma gama de equipamentos para determinar a localização que uma pessoa, um equipamento, ou o que quer que seja, ocupa na crosta terrestre.  Essa localização é fornecida por Coordenadas de Latitude e Longitude.  

Dentre os equipamentos criados, o que se tornou mais comum foi um aparelho receptor móvel que recebe ondas de rádio do Global Positioning System  (Sistema de Posicionamento Global) e, por isso, ficou popularmente conhecido como GPS.

A partir da década de 80, todos os sistemas de armas desenvolvidos no mundo passaram a utilizar a tecnologia do GPS.  Não é o caso dos EUA, estes já faziam uso dessa tecnologia muito antes. 

Bem, pode-se então dizer que, ao liberar o uso de seus satélites, os EUA entregaram uma poderosíssima arma aos seus inimigos!  Que, se o Irã quiser lançar um míssil de longo alcance sobre a Casa Branca, bastaria "treckar" os satélites disponíveis num determinado momento e inserir as Coordenadas Latitude  38º53'51.68"Norte  -  Longitude 77º02'11.57"Oeste e disparar contra esse alvo.  Utilizando-se do Sistema de Posicionamento Global, também poderia destruir todo o arsenal Norte-Americano! Se você acha que sim, está muito enganado!

"Erros propositais" foram inseridos no sistema  pelo Departamento de Defesa Americano para causar uma degradação artificial do sinal do satélite. É chamada de Disponibilidade Seletiva (S/A - Selective Availability) e resulta em um erro de cálculo na posição de mais de 100m. 

Ao fazerem uso de suas armas de guerra, os EUA e aliados (Líbia é o exemplo mais recente) utilizam um "Fator de Correção" que compensa o "erro proposital". Como determinados equipamentos (a exemplo dos GPS modernos) já são capazes de detectar o "erro proposital", fica fácil encontrar o Fator de Correção.  Por essa razão, o "erro proposital" é constantemente modificado pelo DoD.

Clique na Imagem para aumentar
Logo, se alguém está pretendendo resolver o problema da cidade de Ilhéus lançando um artefato na Latitude 14º47'5219"Sul  -  Longitude 39º02'0204"Oeste (vide marcador no mapa acima), deve pensar duas vezes.  Poderá acertar o Hospital São José, ou Teatro Municipal, ou as águas da Baía do Pontal. Menos mal se atingir um prédio que fica do outro lado da Praça J. J. Seabra.  Quem quiser as Coordenadas desse prédio, deve baixar e navegar no Google Earth.  Lembrando que um Segundo nas Coordenadas equivale a 30,87 metros.  Por favor, cuidado com os taxistas e os aposentados que jogam baralho na praça.

terça-feira, 29 de março de 2011

ESCASSEZ DO ETANOL

Levei um baita susto na semana passada quando foi reabastecer o carro.  Etanol a 1,48, no primeiro posto.  Fui procurar outro. Nesse outro, etanol a 1,49.  
Hoje, 29, assisti uma matéria jornalística que trazia maiores informações sobre o problema.  Claro, o preço do açucar no mercado internacional teve influência, a entre-safra também, mas o especialista entrevistado na reportagem deixou bem claro a necessidade de ampliação do plantio da cana-de-açucar.

Logo, lembrei dos "$verdes$".  Um dos maiores impecilhos para o aumento das plantações de cana no país são os "$verdes$".  "Eco-chatos", como gosta de chamar "O Sarrafo".  E aí eu vejo o "tiro saindo pela culatra", ou o "feitiço voltando-se contra o feiticeiro", como queiram.  Ora, o etanol  -  além de originário de fonte renovável  - é reconhecidamente um combustível menos poluente.  Sua escassez e o consequente aumento do preço está levando os proprietários de veículos a optarem pela gasolina, que, além de poluir mais, vem de uma fonte não-renovável.

Bem, com essa, os "$verdinhos$" sifu...!  Ao tentar impedir o aumento das áreas plantadas com cana, provocaram um aumento da poluição no Planeta!

O povo está a favor
Agora, analisando o nosso caso.  O da resistência aos empreendimentos do Complexo Intermodal e da FIOL, (se eles viessem a conseguir seus intentos) os resultados seriam semelhantes.  O número de famílias que teriam que viver do extrativismo seria cada dia maior e os recursos naturais sofreriam um impacto tão grande que inúmeras espécies marinhas e dos manguezais estariam fadadas à extinção.  

A forma mais eficaz para reduzir a impactação do meio ambiente pelo homem é reduzindo o extrativismo.  E, na nossa região, o extrativismo se reduz com investimentos que possibilitem desenvolvimento, criação de novos postos de trabalho e qualificação de nossa mão-de-obra.


ALENCAR, O GIGANTE

Se o xará cearense de Messejana fosse vivo, escreveria uma belíssima epopéia do José de Alencar das Minas Gerais. Até porque o Alencar das Minas, como toda a "raça brasileira"  - segundo José de Alencar  -  veio da semente que brotou da união amorosa entre Peri e Ceci, personagens principais de "O Guarani".

FRASES DO EX-VICE-PRESIDENTE JOSÉ DE ALENCAR:

"Não tenho medo da morte, porque não sei o que é a morte. A gente não sabe se a morte é melhor ou pior. Eu não quero viver nenhum dia que não possa ser objeto de orgulho.Peço a Deus que não me dê nenhum tempo de vida a mais, a não ser que eu possa me orgulhar dele."

"Se Deus quiser me levar, ele não precisa de câncer pra isso. [...] Tudo indica que Deus não quer me levar agora."

Em uma de suas últimas entrevistas, resumiu sua situação com uma  frase de Baden-Powell:

"O escoteiro sorri na desventura."

segunda-feira, 28 de março de 2011

PECULIARIDADES DE UMA OPERAÇÃO ANFÍBIA

Carros de Combate realizando o Desembarque em Embarcações de Desembarque de Viaturas e Material (EDVM) e Carros-Lagarta Anfíbios (CLAnf) sendo "desovados" de um Navio de Desembarque Doca (NDD).



BRASIL – FORÇA, BELEZA E DETERMINAÇÃO

 "O retrato do Brasil hoje revela um personagem que, por incrível que pareça, foi quase que esquecido até o início do século XXI: o povo brasileiro, fato registrado por uma autoridade governamental que fez parte do governo do primeiro presidente eleito pós-ditadura, com a frase: “o povo é um detalhe”."

Leia a matéria completa no  Pimenta

AME-SE

O nome já diz tudo:  DROGA!




domingo, 27 de março de 2011

O IMPREVISÍVEL E POLÊMICO TIM

O Tim despontou no fim dos anos 60.  Em 1970, gravou seu primeiro LP com "Coroné Antonio Bento", "Primavera", "Azul da Cor do Mar," e outras canções de muito sucesso.

Embora possuisse uma musicalidade marcante e de estilo próprio, o Tim era indefinível.  Afinal, era Soul, Reggae, Rap, Jazz, Forró ou Funk, o que o Tim cantava?  Acho que era tudo isso junto, com uma pitada a mais de Soul.

 
Em 1975, Tim passou a fazer parte de uma seita denominada  "Racional Superior",  mais conhecida por "Cultura Racional".  Era baseada no livro "Universo em Desencanto", de Manuel Jacinto Coelho, líder da seita.  Muitos templos foram construídos no Rio de Janeiro, com o apoio de Tim. As composições "Que Beleza", "Rodésia" e "Bom Senso" são dessa fase "zen" do Tim. O fanatismo de Tim durou cerca de dois anos.  Logo depois, ele volta à vida mundana e à boemia.

Com o retorno ao seu "estado normal", Tim compõe "Me dê Motivo" e "Descobridor dos Sete Mares", sucessos que o levaram a ganhar o Prêmio Sharp de "Melhor Cantor" no ano de 1988.


Essa aí de baixo é do tempo da "Cultura Racional".


COMENTARISTAS ESPORTIVOS DA GLOBO

Seja sobre tática ou arbitragem, os comentaristas da "Venus Platinada" não conseguem esconder suas preferências por uma determinada equipe quando emitem seus comentários.  Outro dia o Sérgio Noronha comentava um partida do Flamengo e, de repente, deixou escapar essa:  "NÓS precisamos mudar...".  O "NÓS" referia-se ao time do Flamengo.  Hoje, o "renomado"  José Roberto Wright cometeu algumas "heresias" ao comentar a partida entre Flamengo e Madureira.  Partida que não se transformou num "baba" porque o time da Conselheiro Galvão entrou em campo pra jogar futebol.  O mesmo não se viu pelo lado da equipe da Gávea.  Em determinado instante da partida o Wright (flamenguista doente) "marcou" uma penalidade máxima a favor do Flamengo quando este ainda perdia para o Madura de 3 a 1. Segundo ele, o Ronaldo havia sofrido uma falta, mas quando a TV mostra o "replay", o que se vê é o Ronaldo fazendo falta no zagueiro dentro da área, tendo, portando o árbitro (aliás muito bom) marcado corretamente. Se o Wright estivesse na beira do gramado certamente pegaria o árbitro pela gola e daria ordem para que marcasse uma penalidade que nunca existiu.  Para completar, no final da partida, já nos acréscimos, o árbitro deixou o jogo correr um pouco mais do que havia divulgado na tabuleta: 3 minutos.  No entanto, aos 48 minutos e 30 segundos o árbitro marcou uma falta contra o Mengo.  Um meio escanteio pelo lado esquerdo.  Aí o Wright, sem ser convidado pelo locutor, "abriu o bico" e gritou:  "O tempo do jogo já acabou!".  Será que se a falta fosse a favor do Flamengo o Wright teria ficado tão estressado!?

Tem ainda o Arnaldo César Coelho, o comentarista que assiste um jogo enquanto o público assiste outro. 

Essa que está aí embaixo foi protagonizada pelo Junior (ex-jogador do Flamengo e atual comentarista da Venus Platinada). 

INFLUÊNCIA DOS SUPER-HERÓIS

Hoje, como no passado, nossas crianças vivem fascinadas pelas aventuras dos super-heróis.  Do meu tempo para cá, novos paladinos da justiça foram surgindo, mas os antigos não morreram nem foram morar em asilos.  Ainda podemos ver nas telas do cinema e da TV os poderosos Super-Homem, Homem Aranha, Batman e outros.  

Entre os novos, destaque para o Ben-10, um menino capaz de assumir diversas formas a depender da situação e de um simples toque no seu misterioso relógio.

O que não mudou mesmo foram as sensações e os sentimentos que os Super-Heróis despertam nos pequenos. Estava diante da TV assistindo a um evento esportivo quando se aproxima Carlos Bernardo, meu pequeno de pouco mais de 4 anos.  

-  Papai, eu quero prender um ladrão!

-  Humm!  -  Eu resmungo como resposta e permaneço preguiçosamente recostado no sofá da sala.

Carlos Bernardo, então, pega-me por um dos braços e dá uma sacudida.

- Papai, você não me ouviu? Eu quero prender um ladrão!

- Ouvi sim filho...  -  Respondo ainda de forma displicente e sem demonstrar muito interesse pela conversa. 

Para ver se ele me deixava ver o jogo, tento estimulá-lo.  

-  Olha lá filho, vai sair um gol... Você não quer sentar e assistir ao jogo com o paizão?

- Não Papai... Eu quero é prender um ladrão!  

- Tá bom filhão!  Mas quem prende ladrão é a polícia!  -  Digo, ingenuamente.

- Não papai, quem prende os ladrões são os super-heróis.  Eles são do bem... os ladrões e os monstros são do mal.

- Tá bom cara... mas você não é um super-herói e...

- Mas eu quero ser!  -  Interrompe Carlos Bernardo.

Como já não vinha mais prestando atenção no jogo, aproveitei a deixa para conversar com ele um pouco sobre a luta do bem contra o mal.  Contudo, o que mais me marcou naquele momento foi a constatação de que as aventuras dos super-heróis continuam a fazer parte do cotidiano das crianças, da mesma forma que  fazia parte da minha no passado e despertando os mesmos sentimentos.  O sentimento de justiça, de não permitir que o malfeitor saia impunemente no final da estória.  Com a diferença de que na minha época o principal canal era o gibi. Outra constatação é que alguns super-heróis que já deveriam estar  usando bengalas, encostados pelo INSS, morando em asilos ou até mortos, estão vivinhos da silva e ainda lutando contra as injustiças. Entre eles estão o Homem-Aranha, o Batman e o Superman. Sinto a ausência do Mai Thor, He-man, Capitão Marvel Thundercats e Flash Gordon.





sábado, 26 de março de 2011

sexta-feira, 25 de março de 2011

O COVEIRO QUE VIROU ROQUEIRO

O roqueiro inglês Rod Stewart foi coveiro em Londres antes de alcançar a fama como cantor.

STF - SOBRE A CENSURA AOS BLOGS

"(...) É importante acentuar, bem por isso, que não caracterizará hipótese de responsabilidade civil a publicação de matéria jornalística cujo conteúdo divulgar observações em caráter mordaz ou irônico ou, então, veicular opiniões em tom de crítica severa, dura ou, até, impiedosa, ainda mais se a pessoa a quem tais observações forem dirigidas ostentar a condição de figura pública, investida, ou não, de autoridade governamental, pois, em tal contexto, a liberdade de crítica qualifica-se como verdadeira excludente anímica, apta a afastar o intuito doloso de ofender. (...)"

Leia a matéria completa em ISRAEL NUNES

 

quinta-feira, 24 de março de 2011

ESSE CARA DISPENSA COMENTÁRIOS



AUSÊNCIA DE AUTORIDADE

Leia matéria no  BLOG DO Correia Neles

IMITAÇÃO BARATA

Nossos irmãos portugueses gostam deste provérbio:  

"Quem o alheio veste, na praça o despe."

O nosso "Colo-Colo" de Ilhéus enquadra-se nesse caso.  O clube, a exemplo de alguns outros do Nordeste, tomou emprestada a identidade de uma agremiação desportiva do Chile.  Uma imitação barata e de muita falta de imaginação.
Tinham à disposição  -  seus fundadores  -  um leque de nomes bonitos e expressivos relacionados à belíssima região ilheense.  São tantas as opções...  Mas, prefiro citar apenas uma: ILHÉUS.  Poderia ser "Ilhéus Futebol Clube" ou qualquer outra denominação que trouxesse o nome da cidade, de um bairro ou de um recanto de nossa esplendorosa geografia.

O nome da agremiação chilena é "Club Social y Deportivo Colo-Colo"; o nosso é "Colo-Colo de Futebol e Regatas", nome que sugere a existência de atuação do clube nas atividades de Remo. No entanto, nem barcos, nem remadores, nem raia, nem estádio de remo, são vistos na cidade.  Parece que os criadores acharam bonito o "Regatas" do Botafogo, Flamengo, Vasco e São Cristovão, que são clubes cariocas com atuação no Remo, por isso a denominação.

Desafio qualquer um a me apresentar um "clube de imitação" que tenha dado certo.  E a Bahia é riquíssima nesse artifício.  Temos equipes com "apelidos" de clubes do Rio de Janeiro e até de São Paulo.  

É muita falta de imaginação!  

Penso que o Colo-Colo "de Ilhéus" precisa de uma repaginada, incluindo uma análise do nome e uma modernização em sua administração, pois, pois... como bem dizem nossos irmãos portugueses:

"Quem o alheio veste, na praça o despe."


quarta-feira, 23 de março de 2011

NOVO TENOR NA ÁREA

UMA DAS MELHORES BANDAS DO ROCK MUNDIAL


COISAS DA OPOSIÇÃO

 A oposição no Brasil parece que não anda bem da cachola.  Passou os 8 anos do governo de Lula dizendo que este era uma continuação do anterior. (Errg!!!)  Depois que o PT conseguiu eleger alguém para dar continuidade ao governo de Lula, a oposição diz que é diferente.

E eu vou concordar com a oposição. É diferente sim!  Lula é homem e Dilma é mulher.  Esses caras não tem jeito mesmo!

terça-feira, 22 de março de 2011

O CAMALEÃO DO NORTE

Em 1980, os EUA entregaram armas ao ditador Saddam Hussein para que este invadisse o Irã do Ayatollah Khomeini.  Khomeini era o líder de um regime que incomodava os interesses dos EUA.  Saddam fez uma guerra de 8 anos contra o Irã, para atender interesses norte-americanos.  

Motivo: PETRÓLEO

Em 1990, as tropas de Saddam Hussein, o tirano criado pelos EUA, invadiram o Kuwait. Os EUA ocuparam militarmente o Golfo Pérsico para expulsar as tropas iraquianas do território kuwaitiano. 

Motivo: PETRÓLEO

Saddam tornou-se (depois de Osama bin Laden) o pior inimigo dos EUA.  Em 2003, os EUA invadiram o Iraque para destruir Saddam.

Motivo: PETRÓLEO

Neste ano de 2011, regimes e ditadores apoiados pelos EUA foram derrubados pelo povo na África.  Alguns exemplos são Tunísia e Egito. Algumas nações árabes onde reina o absolutismo estão em ebulição. O que levava os EUA a protegerem esses ditadores era a busca de uma certa estabilidade política na África e no Oriente Médio. Dias atrás, os EUA até "apoiaram" os rebeldes (povo) que derrubaram esses ditadores.

Motivo: PETRÓLEO

Agora é a vez de Muammar al-Gaddafi, ditador da Líbia.  Também ex-protegido dos EUA.  Hoje, tem suas instalações militares e equipamentos bélicos bombardeados por uma coalizão comandada pelos EUA.

Motivo: PETRÓLEO

Em 64, os EUA patrocinaram um golpe militar no Brasil e o país viveu mais de 20 sob um regime de exceção. Esta semana, os EUA (Barack Obama) vieram ao Brasil e elogiaram a presidenta que se insurgiu contra o regime militar patrocinado por eles em 64. 

Motivo: PETRÓLEO

Os EUA estão entre os maiores produtores, mas consomem 1/4 de todo petróleo extraído no mundo.   E o Brasil está em vias de entrar no seleto grupo dos maiores produtores do mundo.

Pelo "ouro negro" os EUA mudam de lado, de roupa e de cor como um camaleão!  E é até capaz de fazer "afagos" no país ocidental que hoje tem a "petulância" de enfrentá-lo nas cortes internacionais do comércio, da política e da diplomacia.


TUDO PORQUE SEM PETRÓLEO OS EUA PARAM!  SUA ECONOMIA MORRE!

FAZEM ETANOL DE MILHO POR UM CUSTO TRÊS VEZES SUPERIOR AO ETANOL BRASILEIRO (DE CANA), MAS NÃO REDUZEM AS ALÍQUOTAS DE IMPORTAÇÃO PARA QUE O NOSSO ETANOL POSSA ENTRAR NO PAÍS.

O QUE OS EUA QUEREM É PETRÓLEO! 

E O PETRÓLEO É O SEU CALCANHAR DE AQUILES!


REBELDIA

Tenho lido e acompanhado a rebeldia de uma das filhas de Ilhéus na tentativa de rebelar-se contra aquela que lhe deu origem.  

Um dos marcos-testemunha dos limites Ilhéus-Itabuna

 É o caso de Itabuna, que entrou numa frenética disputa por território depois do advento dos atacadões em seus limites. Ora, pois, pois...  Itabuna  -  como a totalidade dos municípios que nos rodeiam  -  é filha de Ilhéus.  Ou será que os itabunenses querem rasgar as páginas da História!? 

Coisas dos tempos "modernos": filhos querendo "sangrar" pai e mãe para tomar-lhes o dinheiro!

RECORD - A EMISSORA DA IGREJA QUER NOCAUTEAR A EMISSORA GOLPISTA

 



"A Rede Record divulgou nesta quinta-feira (17/03) a sua proposta para o Flamengo e o Corinthians para ter os jogos transmitidos pela emissora nos Campeonatos Brasileiros de 2012 e 2016. Ela está oferecendo R$ 100 milhões para cada um, pelo direito de transmitir no mínimo 19 partidas por temporada."

"A emissora do bispo Edir Macedo confirmou que esse valor é só pela TV aberta."
" A Rede Record já começou a vender as cotas de seu pacote de eventos esportivos. A aquisição do Pan-Americano de Guadalajara e das Olimpíadas de 2012, em Londres, deram à emissora da Barra Funda a possibilidade de cobrar R$ 372,6 milhões pelos eventos. E várias empresas já compraram."



Leia a notícia completa nos links abaixo:
http://www.midiaesporte.com/2011/02/record-vende-cotas-de-transmissao-do.html

http://www.midiaesporte.com/2011/03/rede-record-oficializa-proposta-de-r.html


O DIA EM QUE BRIZOLA DESMASCAROU A GLOBO

Dezessete anos foram completados no dia 15, último, mas a Globo continua a mesma.
  

Hoje, por interesses particulares e escusos, a Globo tenta impedir o desenvolvimento de Ilhéus e região, fazendo propaganda negativa contra a construção do Complexo Intermodal Porto Sul.

Imagens da Internet (acima e abaixo) que demonstram a repulsa de parcela consciente da população contra a TV Globo pela sua falta de ética jornalística e de compromisso com o bem-estar do brasileiro.


Abaixo, uma que acabei de editar:



O ARÍETE CUMPRE SUA FUNÇÃO DE BEM INFORMAR

 Abaixo, os links de três artigos com verdades sobre o Complexo Intermodal Porto Sul.

(PARA NÃO SAIR DESTE BLOG, CLIQUE COM O BOTÃO DIREITO DE SEU MOUSE E ABRA EM NOVA "ABA" OU "JANELA")

http://alvarodegas.blogspot.com/2011/03/ibama-favor-do-complexo.html

http://www.osarrafo.com.br/v1/2011/03/22/populacao-desinformada/

http://www.osarrafo.com.br/v1/2011/03/19/isto-e-espalhado-pelo-mundo-como-se-fosse-verdade/

ROBERTO CARLOS E JOHN LENNON

De diferentes lugares
Em idiomas diferentes
Com diferentes palavras
Não diferem na mensagem.

(Souza Neto)




SEM SAÍDA

Ixi! Pegou véi!!!



segunda-feira, 21 de março de 2011

YES!!!

Se o Braguinha fosse vivo teria que mudar a letra de sua marchinha de Carnaval para "Yes,Nós Temos Petróleo".


YES, NÓS TEMOS PETRÓLEO!

"Ouro Negro" faz o Brasil e os brasileiros ficarem "bonitos" aos olhos de Tio Sam.
M. AURÉLIO - ZERO HORA

auto_marcoaur212

 RONALDO  -  JORNAL DO COMMERCIO
ronaldojc105

REGI  -  AMAZONAS EM TEMPO
regi112

domingo, 20 de março de 2011

COISAS DO FUTEBOL

Na falta de coisa melhor neste fim de tarde domingueira, acabo de assistir o "baba" entre Cabofriense e Flamengo. Digo "na falta de coisa melhor" porque na condição de bahiano preferia ter a oportunidade de ver jogos de clubes da Bahia.

Não é por isso que estou esccrevendo "COISAS DO FUTEBOL". Encontrei motivação nas máximas defendidas pelos que se dizem entendidos sobre o esporte bretão de que "não existe lógica no futebol".  E não tem mesmo!  No intervalo da partida  -  quero dizer, do "baba"  -  o comentarista de arbitragem José Roberto Wright faz críticas ao árbitro rotulando-o de muito complacente com as entradas faltosas dos jogadores das duas equipes.  Aproveita para ilustrar com o replay de uma falta cometida pelo Wanderley, centroavante do Flamengo, aos dois minutos do primeiro tempo.  Nessa falta, Wright diz que Wanderley deveria ter sido excluído do jogo, portanto, com o árbitro mostrando-lhe cartão vermelho em lugar do amarelo, como fez.  Ainda durante o comentário do intervalo, Wright (a Globo) mostra outro lance onde o jogador Wanderley recebe uma botinada de um jogador da Cabofriense.  Mais uma vez o árbitro aplica o cartão amarelo no lance.  No entanto, Wright afirma que a falta era pra cartão vermelho.

Aproveitando a controvérsia, digo ao Wright que, de acordo com sua análise anterior, o jogador da Cabofriense nada fez para que merecesse receber um cartão vermelho!  Ora, o jogador simplesmente acertou um jogador que já não deveria estar mais em campo  -  o Wanderley.  Um jogador que deveria ter sido expulso aos dois minutos do primeiro tempo, segundo sua própria análise (do Wright).  Sem o Wanderley no campo, o jogador da Cabofriense teria dado uma botinada no vento, uma vez que Wanderley não mais estaria ocupando aquele espaço da botinada.  E, convenhamos, uma botinada no vento não é falta, nem, tampouco, passível de punição com cartão amarelo  -  muito menos vermelho  -, segundo as regras do esporte bretão.

Quero concordar com os "filósofos do futebol" que insistentemente afirmam não haver lógica num jogo de futebol.  E a lógica dessa afirmação tem como premissa a ausência de premissas capazes de dar sustentação a um argumento lógico no futebol  -  qualquer que seja ele.  Toda e qualquer tentativa nesse sentido dilui-se no ar, como éter.

É muito comum se ouvir dizer: "Se o árbitro tivesse marcado aquele penalty o jogo seria outro."  Seria mesmo!?  Se o penalty for convertido em gol, sim! Insistiriam alguns. Pois a partida teria um recomeço em outro ponto do campo  -  na linha central  -  e, a partir daí, as equipes certamente teriam posturas diferentes no decorrer do jogo. Afirmariam outros. Contudo, não se pode afirmar que a equipe que converteu a penalidade venceria o jogo.  E eu digo: ainda que ocorra a perda da penalidade, o jogo não será mais o mesmo: o tempo já é outro, os ânimos dos jogadores mudaram em função da penalidade, o atleta que tenha perdido a cobrança tem seu estado psicológico alterado, o goleiro que tenha defendido ganhou mais confiança, etc. Portanto, não serei eu a querer encontrar sentido lógico no futebol. Não, não vou querer ser tachado de "babaca" ou "sabichão". No presente caso, vejo como exceção a cobrança e conversão do penalty depois de esgotado o tempo regulamentar, incluindo os acréscimos. Aí não tem mais jeito! O quê!? Eu disse isso!? E se a partida for anulada!?  Afinal, há os casos interpretados como "erro de direito" que podem levar à anulação de uma partida e a marcação de novo confronto entre as equipes. O melhor mesmo é não dar opinião! E se der, ficar preparado para o contraditório. É por essas e outras que o futebol é um esporte apaixonante!

Correão - Cabo Frio
Encerro com um questionamento:  "Por que a Cabofriense está mandando seus jogos em Macaé ao invés de utilizar o Estádio Alair Corrêa (Correão) em Cabo Frio?"  Com certeza não é por causa de público, uma vez que Cabo Frio é mais centralizada do que Macaé, em relação às demais cidades da Região dos Lagos.

O TEMPO PASSA E POUCO MUDA

Não estamos na Guerra do Vietnã, mas a canção dos Incríveis vem a calhar.
"Soldado" adolescente das forças de Kadhafi, morto pelo bombardeio de aviões franceses.



ATAQUES À LÍBIA CONTINUAM

 
Imagem liberada pela Marinha Americana
Imagem do lançamento de um míssel por navio norte-americano. Fontes do Pentágono informaram que  navios de guerra dos Estados Unidos e Inglaterra já teriam lançado, juntos, 112 mísseis contra os sistemas antimísseis líbios e atingido 20 alvos. 

Vale lembrar que cada míssil Tomahawk (tipo provavelmente utilizados nos ataques), custa a bagatela de  um milhão de dólares.  Aproximadamente, 1,7 milhão de reais. Esse valor multiplicado por 112 (num só dia) daria para matar a fome de muita gente, na própria África, onde a pobreza gera ditadores como Kadhafi.

Aviões ingleses também já estariam realizando missões de reconhecimento e combate no espaço aéreo líbio.

Abaixo um alvo líbio (blindado) atingido por míssil da força internacional.


ROCK ANOS 60 - THE ARCHIES


ROCK ANOS 60 - THE MONKEES


GUERRA DE ÚLTIMA GERAÇÃO - A PRIMEIRA GUERRA DE OBAMA

Obama
Quando assumiu o governo dos EUA, obama herdou várias guerras deflagradas por seus antecessores.  Agora, chegou a sua vez.  Os ataques das forças aliadas sob o comando dos EUA a pontos estratégicos das forças de Kadhafi, foi o início da primeira guerra de Obama.  

Diferentemente da invasão do Iraque, dessa feita, os EUA tem aquiescência do Conselho de Segurança da ONU.


O destaque do evento parece ter sido (apenas) o emprego de uma  "Guerra de Última Geração", com armas tecnológicas mais modernas e sem soldados e sem fuzis no "front".  Não que esteja descartada essa possibilidade. 

Ontem, começou com o uso de equipamentos de "Guerra Eletrônica", como satélites e radares em aviões, e culminou com ataques de mísseis a alvos selecionados, visando minar o poder de Kadafi. Especialmente o de lançar mísseis e ofensivas por terra contra seus opositores. Além, é claro, de utilizar armas anti-aéreas contra os aviões aliados que sobrevoam e monitoram o território líbio.

Kadhafi
Acredito que o objetivo aliado não é invadir a Líbia com suas forças para derrubar diretamente o ditador Kadhafi, mas dar condições aos rebeldes para que, eles mesmos, façam isso.  Por isso, foi criado o enorme "guarda-chuva" sobre o território líbio para impedir o bombardeio dos rebeldes.  Numa segunda fase, se é que ainda não está acontecendo, haverá um reforço com armas e orientações estratégicas de combate para os oponentes de Kadhafi. Nessa fase, os opositores de Kadhafi deverão contar  com o apoio de militares aliados designados para assessorar o Estado-Maior rebelde nas áreas sob seu domínio, em solo líbio.

Caça Dassault Rafale
Contudo, o que, por enquanto, se observa é a preocupação de EUA, França, Itália e Inglaterra em evitar perdas humanas.  

Ontem, houve um intenso emprego de mísses de médio alcance e esporádicas operações "cirúrgicas" pelos caças franceses Dassault Raphale contra alvos líbios em terra.  A maior parte dos ataques foi realizada por navios (provavelmente norte-americanos e italianos) com extrema qualidade no poder de fogo e alcance, utilizando fotos e coordenadas fornecidas por satélites.

Escrevo estas linhas sem ainda ter lido os acontecimentos desde a primeira ação aliada até este momento.  Portanto, é provável que novas ações já tenham sido desencadeadas.


Comandante SOUZA NETO