segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O grande Eric Clapton - Cocaine

... E ILHÉUS NO MESMO CAMINHO!

A especulação é "animal".

Amanhã vou a um "pet shop" reservar a minha.  Vou levar a família pra escolher uma bem bonitinha, e... que dê pra guardar os ossos e os pratinhos...

O DIA DO FICO...

Dilma RATIFICA a decisão de Lula, e... o Battisti FICA!

AGORA, SÓ O "SUPREMO"  -  DE NOVO? 


E A CAMPANHA CONTINUA...

Estamos (eu e Gilma) dando prosseguimento a nossa campanha pelo Chopp Escuro. Estivemos durante toda a semana passada em Salvador e foi um "parto" conseguirmos beber um chopinho preto na nossa capital.  Só não "perdemos a criança" porque a busca foi sem tréguas.  No Salvador Norte Shopping, depois de passarmos por quase todos os bares e restaurantes, (ufa!) conseguimos um cantinho que tinha Chopp Preto.  Tomamos todas as calderetas que pudemos.  E ainda tivemos que ensinar o chopeiro a extrair a substância: êpa! a caldereta precisa estar gelada!  Mergulha na água com gelo!  Não tem? Providencia!  Inclina o copo... deixa a uma certa distância da chopeira pra criar espuma... deixa o chopp "chorar" cara!  Chorar? O chopeiro estranha e olha pra mim.  Eu digo, é "CHORAR"  cara!  O choro é o derramamento das bolhas da espuma superior!   Ia ensinando...

No dia seguinte, estávamos no Iguatemi.  Uma nova aventura para encontrar chopp escuro...  Em cada lugar que a gente perguntava recebia NÃO  como resposta e, às vezes, uma cara de espanto!  Teve um sujeito que ficou rindo da nossa cara!  Aí retrucamos: tá rindo do quê?  Não conhece chopp preto não?  Aí o cara se escangalhou de rir.  Ufa...  Enfim, chegamos ao setor onde ficam algumas churrascarias e (pimba) tinha chopp escuro.  Deitamos e rolamos!  

De volta a Ilhéus...  Decidimos fazer uma campanha pelo chopp preto aqui.  Porr..., a gente mora aqui!!!

QUEREMOS BEBER CHOPP ESCURO NESSAS TERRAS DE AMADO!!!

Na última vez que encontramos aqui em Ilhéus estava azedo.  O barril tem um prazo pra ser consumido depois de aberto...  Com o pouco consumo acaba azedando.

Chegamos a conclusão de que para termos chopp preto em Ilhéus vai ser preciso aumentar o número de consumidores desse tipo de bebida...  

PORRRR  ISSSSSSOOO....  

TODOS OS ILHEENSES QUE APRECIAM CHOPP ESTÃO INTIMADOS A BEBER CHOPP PRETO!!!!!!!!!!!

PODEMOS RECLAMAR DA NATUREZA?

Volta e meia, assistimos as pessoas reclamando da natureza por causa de enchentes e deslizamentos de encostas. Muito recentemente tivemos os sinistros ocorridos na Região Serrana Fluminense, atingindo milhares de familías e deixando cerca de mil mortos. 

A imagem abaixo foi feita hoje do estacionamento da loja Itão em Ilhéus.
O barranco foi cortado para encravar uma casa no morro
Veja esta outra foto mostrando com mais detalhe o lado direito (barranco) da construção.
A encosta do lado direito já está em acentuado processo de erosão face à perda da vegetação

A parte de baixo da foto é o estacionamento do Itão. Entre o estacionamento e a casa passa uma rua que dá acesso ao Pacheco. Não é possível ver muito bem na foto, mas a escavação feita no morro para encravar a casa deixou o muro da casa de cima em situação de risco.

Será que o "empreendimento" passou pelo crivo do "Paço da Mãe Joana"?

sábado, 29 de janeiro de 2011

CANAVIEIRA - O MELHOR ENTRE OS MELHORES


Canavieira foi o maior de todos os jogadores de futebol de nossa região.  Seu nome de profissional (Canavieira) é uma referência à cidade de Canavieiras.  Embora nascido em Cairu, residia com a família em Canavieiras quando o Bonsucesso o levou para o Rio.  Jogou no Botafogo numa época em que só tinha feras. 

Olha o time que o cara jogou: Manga, Joel, Zé Maria, Nílton Santos e Rildo; Ayrton e Didi; Garrincha, Canavieira, Amarildo e Zagallo.

Canavieira hoje é simplesmente Bené. Uma abreviatura de seu nome: Benedito Israel Ribeiro. Mora em Canavieiras.

Canavieira viveu os melhores tempos do futebol brasileiro. Na época em que jogava ao lado de Garrincha e Nilton Santos no Botafogoo, chegou a ser chegou a ser pré-selecionado para a Copa de 66.

Canavieira nos Estados Unidos
Além do Bonsucesso e do Botafogo, Canavieira jogou pelo Cruzeiro de Porto Alegre, Internacional e Vila Nova de Minas Gerais, Cerro do Uruguai, New York Skyliners dos EUA e CRB de Alagoas.
Canavieira no Cerro de Montevidéu (camisa 8 -  2º agachado)


Canavieira, atualmente em Canavieiras é apenas Bené

Em Canavieiras, Bené tem uma escolinha de futebol que todos os anos forma uma equipe para disputar o campeonato de futebol amador  da Liga Canavieirense de Futebol.

Mesmo ele sendo 12 anos mais velho, quando menino, joguei alguns babas com o Benedito (assim ele era chamado antes de ir para o Rio) nos campos de várzea de Canavieiras.

Essa é uma justa homenagem ao amigo Bené.

Souza Neto



Mas, nem só de temas políticos tratavam as letras de Chico Buarque. Em muitas de suas composições estava presente o cotidiano das pessoas. É o caso de Geni e o Zepelim. Conta a saga de uma prostituta que, quando foi considerada útil para salvar uma cidade, teve seu nome ovacionado por todos os habitantes. Mas, depois que a ameaça deixou de existir, passou a ser xingada por todos, como era antes. Quantas pessoas nos tempos atuais não viveram a mesma situação da Geni? Enquanto é útil tem sua importância reconhecida, quando deixa de ser, é jogado fora, descartado como lixo.

Apesar de você - Chico Buarque - Quando muitos jovens hoje ouvem uma música de Chico, às vezes não entendem muito bem a mensagem que ele deseja transmitir com a letra. Neste vídeo, a associação da música com as imagens mostram perfeitamente sobre o que o Chico fala.

Cálice (Sub. español) - Chico Buarque y Milton Nascimento - Chico, se não o maior, foi um dos maiores compositores brasileiros que enfrentou a ditadura militar. As letras de suas canções eram muito inteligentes, por isso, algumas eram censuradas e outras não. Ele conseguia esconder muito bem a mensagem numa forma de escrever inigualável. A letra de Cálice foi escrita em parceria com o baiano Gilberto Gil.

COM A PRESIDENTE DILMA, É DIFERENTE.

O ESTILO DE GOVERNAR DA PRESIDENTE DILMA


07:47:14  Bahia Notícias.
Num dos parênteses que abriu no seu discurso escrito para falar improvisadamente, o governador Jaques Wagner fez um declaração interessante quando da abertura, nesta sexta, do ciclo de comemorações pelos 200 anos de fundação da Associação Comercial da Bahia, a mais antiga do Brasil. Disse ele que diversos ministros, amigos dele, depuseram informalmente sobre o estilo de governar de Dilma Rousseff. Que não é fácil. A presidente é de exigir muito, assimila com facilidade todas as informações que recebe e cobra resultados. O rítmo é pesado e quase sem descanso. Os ministros que desfilam pelo gabinete presidencial não têm vida fácil. A cobrança é ponto por ponto, sem deixar um, sequer, no esquecimento. Ela quer pressa nas soluções. Um estilo que difere muito do de Lula, mais afável e sempre brincalhão. Assim posto, concluem os ministros que há muitas razões para entender que o governo apresentará resultados rápidos. Quem foi ser ministro pensando em desfilar mordomia, ou segura a barra ou, se for malandro velho acostumado a encostos, vai pedir para sair. Enfim, Dilma tem pressa.

(Samuel Celestino)

URUÇUCA TEM UM CORONÉ MANDANDO NO PEDAÇO!

"Hugo Chavez" à baiana em Uruçuca. 

Quando será que o povo baiano vai conseguir acabar com isso?

CORONÉ MOACYR

Essa lembra aquelas historinhas dos tempos dos velhos coronéis do sul da Bahia. Ontem, o prefeito de Uruçuca, Moacyr Leite (PP), mandou retirar o tradicional sistema de sonorização do centro da cidade, conhecido como “A voz da cidade”. A pequena cidade de 20 mil habitantes se comunica pelo alto-falante.
O cumprimento da ordem do prefeito não foi nada amigável. Teve troca de sopapos entre os leões-de-chácara e os donos do sistema de sonorização. O prefeito mandou retirar o sistema de som sob a alegação de que não se trata de um serviço de utilidade pública. Aos sócios d´A voz da cidade, Moacyr teria dito que, naquele instante, imperava na cidade “a lei do coronelismo”.
Comenta-se em Uruçuca que a reação de Moacyr se deve aos incômodos que o sistema de sonorização começou a criar para a sua gestão. Isso porque os donos d´A voz da cidade começaram a dar vez e voz ao povo, que reclama da falta de iluminação, da coleta de lixo, da insegurança… O prefeito não gostou e avisou que retiraria o sistema de sonorização. A resposta dos atingidos pela ordem: – quando o senhor ganhou a eleição, veio aqui para agradecer os eleitores.
A coisa azedou de vez.

ELEIÇÃO I


Honestino Justus foi candidato ao cargo de vereador na eleição passada. Honestino não foi eleito...  Teve menos de 100 votos. 

Veja porque o Honestino não foi eleito, conhecendo-o um pouco.

Honestino chega à residência de um eleitor:

HONESTINO JUSTUS – Estou aqui para pedir o seu voto. Caso seja eleito, tenho projetos que poderão melhorar a cidade e beneficiar a vida de tod...

ELEITOR “PRAGMÁTICO”  – Ah, sei... precisando dumas teia pra cobrir o barraco, né. O meu voto é quem me arrumar as teia.

HONESTINO JUSTUS – Sinto muito, senhor. Se eu não fosse candidato até que poderia ajudar... Mas, como candidato isso é crime eleitoral, não posso atendê-lo. Vou deixar um “santinho” com o senhor... caso se decida a votar em mim...

ELEITOR “PRAGMÁTICO” – Pode déxá  – olhando pro santinho, diz:  –  Se fosse uma nota de 10 real era mió.

HONESTINO JUSTUS – Desencantado, sai e vai dizendo  –  Tudo bem... Foi um prazer conversar com o senhor.

HONESTINO JUSTUS vai embora com a certeza de que enquanto for honesto e cumpridor das leis nunca será eleito vereador.

Mas, Azoiraldo Trambiqueiro, também candidato a vereador, conseguiu eleger-se.

Veja como isso aconteceu:

Azoiraldo comparece à mesma residência onde o Honestino esteve no dia anterior.

AZOIRALDO TRAMBIQUEIRO – Sou candidato aqui na cidade e...

ELEITOR “PRAGMÁTICO” –   Moço, vou logo dizendo, eu preciso dumas teia pra cobrir o barraco. Quem me ajudá vai meu voto! E dá mia famia tumbém!

AZOIRALDO TRAMBIQUEIRO  -  Ah! Isso não é problema!  Quantas pessoas moram aqui?

ELEITOR “PRAGMÁTICO” – Oithio.

AZOIRALDO TRAMBIQUEIRO  -  Oito!? – arregala os olhos e apontando para uma mulher que o acompanha diz: – Naiara, anota aí os nomes e os endereços... 

Voltando-se para o eleitor, TRAMBIQUEIRO diz: Ó, não dorme cedo não, a entrega do material vai ser feita hoje de noite. Ah, quando o pessoal chegar com as telhas, entrega pra eles os números dos títulos eleitorais de toda a família. Tá certo?

ELEITOR “PRAGMÁTICO” –  Tá certo seo Trambiquero... muito obrigado!

AZOIRALDO TRAMBIQUEIRO  – Mais tem que votar no meu candidato a prefeito também... O nome dele taí no santinho.

ELEITOR  “PRAGMÁTICO” –  Craro! Podi déxá! O siô merece!

AZOIRALDO TRAMBIQUEIRO deixa o santinho, e vai embora, com a certeza de que ganhou mais oito votos.

Claro, como já disse, AZOIRALDO TRAMBIQUEIRO foi eleito vereador... MAS... 

DEPOIS DA ELEIÇÃO:

ELEITOR “PRAGMÁTICO” – Ah! Se eu subesse não votava no Azoiraldo Trambiquero nem no prefeithio dele.  O hospital ta abandonado, não tem médico, não tem remédio, o caminhão do lixo não passa, os salários tão atrasado, a cidade ta entregue as barata! Ninguém consegue mais falar com ele... Tão dizendo qui tão roubando tudo qui é dinheiro!

E de quatro em quatro anos essa história se repete!

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

HOMENAGEM A UM BLOGUEIRO DE ILHÉUS

Fui pela primeira vez a Olaria no começo dos anos 70, para assistir uma partida entre o Olaria e o Botafogo.  Depois disso, poucas foram as vezes em que desci no bairro, muito embora tenha passado inúmeras vezes por lá, ora a caminho da Penha, ora de Bonsucesso, onde morei por alguns meses.   
Estádio Mourão Filho, mais conhecido como Estádio da Rua Bariri

A origem do nome segundo a Wikipédia, "deu-se em virtude dos senhores de engenho, que mantinham no local inúmeros desses fornos, sendo a primeira olaria construída em 1821, no século XIX, por iniciativa da família Ferreira, aproveitando a abundância de barro oriundo do Morro do Alemão, pertencente àquela época a dita família."
Uma rua de Olaria



O cara que nasceu no pedaço é o Guy Valério do Blog O Sarrafo.

Mata as saudades aí velho!

6º ECOBIKE

Grande expectativa a respeito do próximo Ecobike, o maior evento ciclístico da região, marcado para 6 de fevereiro. Este ano as pedaladas de mais de 500 ciclistas serão até a fazenda Santa Cruz, às margens do Rio Salsa, em Ouricana. O empresário Ériston Nascimento e equipe anunciaram um extenso e movimentado programa.


Fonte: Tabuonline. 

O EcoBike acontece na cidade de Canavieiras e o trajeto premia o cliclista com a passagem  por uma belíssima área rural onde se pode passar por rios (Pardo e Salsa) e fazendas de cacau históricas  -  como a Cubículo, onde foi plantado o primeiro pé de cacau na Bahia.



O Aríete ainda não tem informação dos contatos com os organizadores do evento.  Uma alternativa é entrar em contato com o Jornal Tabu.


E-mail: jornal.tabu@yahoo.com.br
Tel.: (73) 3284-1068

Ilhéus terá novas delegacias especiais


Ilhéus vai ter delegacias especializadas no Combate às Drogas e Repressão a Furtos e Roubos. Também serão criadas divisões individualizadas para atender ao menor infrator e outra para acidentes de veículos.

O anúncio foi feito pelo coordenador regional de Polícia do Interior, Irineu Alves Andrade, num encontro com o prefeito Nilton Lima.

O diretor informou que o governador Jaques Wagner já enviou cinco novas viaturas para atuar na área e auxiliar nas ações preventivas de combate à criminalidade em Ilhéus.

No encontro com o coordenador, Nilton Lima informou que a prefeitura de Ilhéus mantém convênio de cooperação técnica com vários órgãos de segurança pública do estado que tem sede no município.

Ele disse que, por meio de parceria com os lojistas, implantará o serviço de monitoramento com câmeras de vigilância, funcionando 24 horas por dia no centro da cidade.

O novo serviço será coordenado pelas polícias Civil e Militar, com chance de ampliar a ação para outras áreas da cidade. Irineu Alves é sergipano, mas já atua na Bahia há 9 anos, tendo sido delegado em Itapetinga.

Fonte:  A Região.

UMA MOSTRA DE COMO SE DANÇAVA NOS ANOS 50

Bill Haley - Rock Around The Clock (1956)

Chuck Berry - "Maybelline" on the Midnight Special 1973

QUEM INVENTOU O ROCK AND ROLL?

O norte-americano Chuck Berry é considerado por muitos o inventor do Rock and Roll.
 
Berry tem hoje 83 anos e começou sua carreira musical na década de 1950. A música Maybellene (1955), seu primeiro single, é tida como uma das primeiras canções de rock. O cantor e compositor foi um dos principais nomes da Chess Records, gravadora que também lançou Etta James e Muddy Waters. Johnny B. Good, Roll Over Beethoven e Carol estão entre os hits mais famosos do cantor.  São clássicos inesquecíveis do rock.

Apesar de muitas bandas passarem a compor e cantar o rítimo criado por Berry  -  entre elas a de Bil Halley  -, foi preciso um branco e boa pinta para que a música pegasse comercialmente. Esse cara foi o Elvis Presley, que se transformou no Rei do Rock.  Claro que o Elvis também tinha muito talento, mas não se pode tirar o mérito de Charles Edward Anderson Berry. 
 
Berry nasceu em Wentzville, no Missouri, dia 18 de outubro de 1926.
 
Em 1986, Chuck Berry foi um dos primeiros roqueiros a entrar para o "Rock And Roll Hall Of Fame". Sua importância para o rock é essencial. É considerado por muitos o verdadeiro rei do rock, título usurpado por Elvis Presley. Certa vez, John Lennon em entrevista chegou a afirmar, "se vocês querem dar outro nome ao rock´n´roll, podem chamá-lo de Chuck Berry".

Pink Floyd - Another Brick In The Wall(Live) - Para relembrar o Rock Progressivo do começo dos anos 70.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

A MÁSCARA DOS "ECO$-E$PERTO$" VAI CAINDO



Reproduzido de http://pactoseimpactos.blogspot.com/

Confissões de um dos fundadores do Greenpeace


À esquerda, uma foto sem data de Patrick Moore, um dos membros fundadores do Greenpeace. Direita, Patrick Moore, hoje, é um lobista para a energia nuclear.
por: Fotografia fotos Folha, National Post
 Você pode taxar de abandono do Greenpeace, mas isso não é uma descrição completamente precisa de como ou por que deixei a organização de 15 anos depois eu ajudei a criá-lo. Eu gostaria de pensar que o Greenpeace me deixou, e não o contrário, mas isso também não é inteiramente correto.

A verdade é que o Greenpeace e eu tinha evoluções divergentes. Eu me tornei um ambientalista sensato; Greenpeace se tornou cada vez mais absurda, uma vez que aprovou uma agenda que é anti-ciência, anti-desenvolvimento, e absolutamente anti-humano. Esta é a história de nossas transformações.

A última metade do século 20 foi marcada por uma revolta para a guerra e uma nova consciência sobre o meio ambiente. Beatniks, hippies, eco-loucos e os verdes, por sua vez formou uma nova filosofia que abraçou a paz e a ecologia como os princípios globais de um mundo civilizado. Estimulado por mais de 30 anos de medo sempre presente que o holocausto nuclear global acabaria com a humanidade e muito do mundo dos vivos, levamos uma nova guerra - uma guerra para salvar a terra. Eu tive a sorte de ser um general em guerra.
O objetivo principal do meu novo livro é o de estabelecer uma nova abordagem para o ambientalismo e definir sustentabilidade como a chave para atingir as metas ambientais. Isso requer abraçando os seres humanos como um elemento positivo na evolução ao invés de ver-nos como uma espécie de engano. Eu acredito que devemos celebrar a nossa existência e constantemente as nossas mentes para tornar o mundo um lugar melhor para as pessoas e todas as outras espécies que compartilhamos com ele.

Um monte de ambientalistas estão presos na década de 1970 e continuará a promover uma cepa do romantismo de esquerda sobre a vida idílica aldeia rural alimentado por moinhos de vento e painéis solares. Eles idealizam a pobreza, vendo-a como uma forma nobre de vida, e se opõem a todos os grandes empreendimentos. James Cameron, o produtor multimilionário do filme mais lucrativo da história, Avatar, pinta o rosto e se junta ao desafeto para protestar contra uma usina hidrelétrica na Amazônia.

Eu acredito que:

• Devemos estar plantando mais árvores e usar mais madeira, não cortar menos árvores e usando menos madeira como Greenpeace e seus aliados afirmam. A madeira é o material mais importante de recursos renováveis e da energia.
  • Os países que possuem reservas de energia potencial hidrelétrico deve construir as barragens obrigadas a entregar a energia. Não há nada errado com a criação de lagos mais neste mundo.
A energia nuclear é essencial para o nosso futuro abastecimento de energia, especialmente se quisermos reduzir a nossa dependência dos combustíveis fósseis. Ele provou ser limpa e segura, confiável e rentável.

• Bombas de calor geotérmicas, que poucas pessoas conhecem, são muito mais importantes e rentáveis do que quer painéis solares ou moinhos de vento como fonte de energia renovável. Eles devem ser exigidos em todos os edifícios novos a menos que haja uma boa razão para usar outras tecnologias para aquecimento, resfriamento e distribuição de água quente.

• A maneira mais eficaz para reduzir a nossa dependência dos combustíveis fósseis é incentivar o desenvolvimento de tecnologias que requerem menos ou nenhum combustível fóssil para funcionar. Os carros elétricos, bombas de calor, a energia nuclear e hidrelétrica, e os bicombustíveis são a resposta ,não, complexos sistemas de regulação, que sufocam a atividade econômica.

A ciência genética, incluindo a engenharia genética, irá melhorar a nutrição e a desnutrição fim, melhorar a produtividade das culturas, reduzir o impacto ambiental da agricultura, e fazer as pessoas e o meio ambiente mais saudável.

Muitas campanhas de ativistas projetado para nos fazer temer produtos químicos úteis são baseados em desconhecimento e medo injustificado.

Aqüicultura, incluindo salmão e camarão, será uma das nossas mais importantes fontes futuras de alimentos saudáveis. Ele também irá tirar a pressão depauperamento das unidades populacionais de peixes selvagens e vai empregar milhares de pessoas de forma produtiva.

Não há motivo para alarme sobre a mudança climática. O clima está sempre mudando. Algumas das "soluções" propostas seria muito pior do que qualquer conseqüência imaginável do aquecimento global, que provavelmente será sua maioria positivas. A refrigeração é o que devemos temer.

A pobreza é o pior problema ambiental. Riqueza e urbanização irá estabilizar a população humana. Agricultura deve ser mecanizada em todo o mundo em desenvolvimento. As doenças e a desnutrição pode ser largamente eliminada pela aplicação da tecnologia moderna. Os cuidados de saúde, saneamento básico, alfabetização e de eletrificação deve ser fornecida a todos.

• Baleias ou golfinhos não devem ser mortos ou capturados em qualquer lugar, sempre. Esta é uma das minhas poucas crenças religiosas. Eles são a única espécie na Terra, cujos cérebros são maiores do que nós e é impossível matar ou capturar os humanamente.
O autor:
Dr. Patrick Moore é o co-fundador e ex-líder do Greenpeace e presidente e cientista-chefe da Greenspirit Strategies Ltd., em Vancouver. Seu novo livro, Confissões de uma saída Greenpeace: A Construção de um Ambientalista Sensível, está disponível em www.beattystreetpublishing.com.
O renegado
O polêmico Moore durante uma entrevista, fala de seus antigos colegas de ONG,onde afirma que seus ex-colegas: Dos colegas diretores, nenhum deles tinha formação científica. Lidavam com questões como químicas, biologia e genética, sem terem nenhuma formação formal nesses temas. Encaminhavam a organização para o que ele define como "ambientalismo pop", o qual utiliza sensacionalismo, desinformação e tácticas de medo, para lidar com as pessoas a um nível emocional, em vez de intelectual. Do Blog http://ecotretas.blogspot.com/2011/01/greenpeace-e-que-era.html

EcoTretas é um espaço dedicado a evidenciar os disparates que se dizem e fazem à volta da Ecologia. Especialmente dedicado aos ecologistas da treta, essa espécie que se preocupa mais com uma pata partida de um qualquer animal, do que com um fogo florestal! Aqueles que são anti-americanos, mas que gostam do Al Gore.
Um rebelde contra o Greenpeace (Conheça um pouco mais da História)
Em 1982, o Greenpeace havia crescido em um movimento de pleno direito internacional com escritórios e funcionários em todo o mundo. Nós estávamos trazendo em $ 100 milhões por ano em doações e meia dúzia de campanhas estavam ocorrendo simultaneamente. Durante o início da década de 1980 aconteceram duas coisas que alterou a minha perspectiva sobre a direção em que o ambientalismo, em geral, e do Greenpeace, em particular, estavam indo. A primeira foi a minha introdução ao conceito de desenvolvimento sustentável em um encontro mundial de ambientalistas. A segunda foi a adoção de políticas do Greenpeace pelo meu companheiro que eu considerados extremistas e irracionais. Estes dois acontecimentos que preparou o terreno para minha transformação de um ativista radical em um ambientalista sensato.

Em 1982, as Nações Unidas realizaram uma conferência em Nairobi para celebrar o 10 º aniversário da primeira Conferência das Nações Unidas do Ambiente, em Estocolmo, que eu tinha também participaram. Eu era um dos 85 líderes ambientais de todo o mundo que foram convidados a elaborar uma declaração de nossas metas coletivas para a proteção ambiental. Rapidamente se tornou claro que havia duas perspectivas quase oposto da sala - a perspectiva anti-desenvolvimento de ambientalistas de países ricos industrializados e as perspectivas de desenvolvimento pró-ambientalistas dos países pobres em desenvolvimento.

Como um ativista dos países em desenvolvimento colocá-lo, tomando uma posição contra o desenvolvimento do seu país lamentavelmente pobre iria ficar riram fora da sala. Foi difícil argumentar com a sua posição. Uma pessoa bem alimentada tem muitos problemas, uma pessoa com fome, mas tem uma. O mesmo é verdadeiro para o desenvolvimento, ou a falta dela. Pudemos ver a trágica realidade da pobreza na periferia de nossa cidade anfitriã do Quênia. Aqueles de nós nos países industrializados reconhecido que tínhamos que ser a favor de algum tipo de desenvolvimento, de preferência do tipo que não estragar o ambiente no processo. Assim, o conceito de desenvolvimento sustentável nasceu.

Isso foi quando eu percebi que havia plenamente um passo além do ativismo ambiental puro. O verdadeiro desafio foi descobrir como tirar os valores ambientais que tinha ajudado a criar e tecê-las no tecido social e econômico da nossa cultura. Isto tinha de ser feito de várias maneiras, que não prejudicam a economia e eram socialmente aceitáveis. Foi claramente uma questão de equilíbrio cuidadoso, não adesão dogmática a um único princípio.

Eu soube imediatamente que colocando o desenvolvimento sustentável em prática seria muito mais difícil do que a campanhas de protesto que tínhamos montado na década passada. Isso exigiria um consenso e da cooperação ao invés do confronto e da demonização. Greenpeace não teve problemas com o confronto - o inferno, que tinha feito isso uma forma de arte -, mas tivemos dificuldade em cooperar e fazer concessões. Fomos grandes em dizer às pessoas o que eles deveriam parar de fazer, mas quase inútil para ajudar as pessoas descobrir o que eles deveriam estar fazendo em seu lugar.

Ele também parecia o momento certo para eu fazer uma mudança. Eu senti a nossa tarefa primordial, a sensibilização do público em massa da importância do meio ambiente, foram em larga medida. Até o início dos anos 1980 a maioria do público, pelo menos nas democracias ocidentais, concordou com que o meio ambiente deve ser levado em conta em todas as nossas atividades. Quando a maioria das pessoas concorda com você provavelmente é hora de parar de bater-lhes sobre a cabeça e sentar com eles para buscar soluções para nossos problemas ambientais.

Ao mesmo tempo, optei por tornar-se menos militante e mais diplomático, os meus colegas do Greenpeace se tornou mais extremos e intolerantes com opiniões divergentes dentro.

Nos primeiros dias discutimos abertamente questões complexas e freqüentemente. Era um grupo maravilhoso de se envolver com a ampla discussão de políticas ambientais. A energia intelectual na organização era contagiante. Nós freqüentemente discordavam sobre questões específicas, mas nossa visão final foi amplamente partilhadas. É importante ressaltar, que se esforçou para ser cientificamente precisa. Durante anos, este tinha sido o tema de muitos dos nossos debates internos. Eu era o ativista do Greenpeace apenas com um Ph. D em ecologia, e porque eu não permitiria que exagero além da razão eu rapidamente ganhou o apelido de "Dr. Verdade". Nem sempre foi entendida como um elogio. Apesar dos meus esforços, o movimento abandonou a ciência ea lógica em algum lugar, em meados da década de 1980, tal como a sociedade estava adotando os itens mais razoável na nossa agenda ambiental.

Alguns ativistas simplesmente não conseguia fazer a transição do confronto com o consenso, era como se eles precisassem de um inimigo comum. Quando a maioria das pessoas decidir se concorda com todas as suas idéias razoável a única maneira que você pode permanecer confronto e antiestablishment é adotar posições cada vez mais extremo, acabou abandonando a ciência e lógica, em favor de políticas de tolerância zero.

O colapso do comunismo mundial e da queda do Muro de Berlim na década de 1980 acrescentou à tendência para o extremismo. A Guerra Fria acabou eo movimento pela paz foi em grande parte desmantelada. O movimento de paz tinha sido baseado principalmente ocidental e anti-americano em sua inclinações. Muitos de seus membros se mudou para o movimento ambiental, trazendo com eles suas neo-marxista, as agendas de extrema-esquerda. Para uma extensão considerável o movimento ambiental foi invadida por ativistas políticos e sociais que aprenderam a usar a língua verde para agendas capa que teve mais a ver com o anti-capitalismo e anti-globalização do que com ciência ou ecologia. Lembro-me de visitar o nosso escritório em Toronto em 1985 e ser surpreendido com a forma como muitos dos novos recrutas foram desportivas uniforme militar e boina vermelha, em apoio dos sandinistas.

Eu não os culpo por aproveitar a oportunidade. Havia uma grande quantidade de energia em nosso movimento e viram como ela poderia ser transformada para servir as suas agendas de mudança revolucionária e da luta de classes. Mas diferente com eles porque eles eram extremistas que confundiram as questões e ao público sobre a natureza do nosso ambiente e nosso lugar nele. Até hoje eles usam o termo indústria como se fosse um palavrão. O mesmo vale para multinacionais, química, genética, a globalização corporativa, e uma série de outros termos perfeitamente úteis. Sua campanha de propaganda é destinada a promover uma ideologia que eu acredito que seria extremamente prejudicial tanto para a civilização e o ambiente.

Leia mais em  www.newsweek.com/id/131753

JUSTIFICANDO A AUSÊNCIA

Neste momento estou numa lanhouse. Aproveito para solicitar desculpas aos amigos pela ausência momentânea.  Aproveitei alguns dias para atender um convite de amigas e viajei até Vila de Abrantes  -  Camaçari.  No local não tem sinal Free Wireless Fidelity, o que torna difícil o acesso.  Além disso, tenho dedicado algum tempo a outras "ocupações".  Ontem estive em Jauá pela manhã, curtindo uma prainha... Nada que se compare ao mar de Ilhéus, claro...  E à tarde, fui assistir a um baba no Pituaçú.  Coitado do meu Bahia!  Jogou um verdadeiro baba contra o Feirense.  Só se encontrou em campo nos 20 minutos finais com a entrada de Camacho. Um menino bom de bola e que, se for bem trabalhado, terá um grande futuro no futebol.  Camacho mudou a história do jogo.  Depois de sua entrada no meio, além de ter feito o primeiro gol, algumas peças começaram também a funcionar.

Muitos torcedores, inclusive eu, reclamaram do preço dos ingressos:  50 paus para arquibancada e 100 para cadeiras.  Para um bom jogo, até vale, mas o baba de ontem não valeu nem 10.

Vou finalizar com algumas críticas e sugestões para o Baêêêaaa...  Primeiramente o treinador precisa de um esquema tático, um padrão de jogo.  Jogadas ensaiadas nas bolas paradas.  Nada disso foi visto.  Jogadores confusos e jogando em posições em que não são especialistas.  No primeiro tempo inistiu com o Bruno Paulo, meia que não joga grandes coisas, caindo pelo lado esquerdo e deixando o Ávine pelo meio.  O centroavante Souza não disse pra que entrou em campo.  Perdeu duas oportunidades, cara a cara com o goleiro, que até as nossas avós faziam.  O volante Jataí é muto fraco.  Esses três foram substituidos no segundo tempo.  Mas o time só melhorou com a entrada do Camacho (no lugar do Bruno Paulo) a 20 minutos do final do jogo.

Enfim, meus protestos pelo jogo ruim e pelo preço do ingresso.  Se o Bahia quiser ser campeão baiano e fazer uma boa apresentação no brasileirão, vai ter que melhorar muito!

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

ENCONTREI ESSAS HOJE





JÁ POUSOU EM LISBOA? NÃO? FAÇA ISSO PELA PRIMEIRA VEZ, AQUI!

INSENSATEZ E FALTA DE RESPEITO

Nunca na história desse País eu tinha desligado o aparelho de TV durante uma propaganda política.  Tive que fazer isso hoje. Não aguentei o pouco caso e a falta de respeito!


Isso porque o PSTU aproveitou-se da desgraça que atingiu as populações dos municípios da Região Serrana Fluminense para "fazer política".  Política com a miséria alheia... a política de terra arrasada...

Considero inaceitável esse tipo de comportamento político e não quis continuar assistindo.  Em protesto desliguei o aparelho, já que propaganda passava em todos os canais.

ATENÇÃO ESTUDANTES!

Liminar judicial que concede a estudantes meia-entrada é descumprida em Ilhéus

O CADE Bahia, entidade sem fins lucrativos e reconhecida de utilidade pública em Ilhéus, que atua em defesa dos direitos dos estudantes, obteve liminar judicial para concessão de meia-entrada aos estudantes em shows e espetáculos diversos.

O detalhe é que a ordem judicial não vem sendo cumprida por diversos promotores de eventos que, ou não concedem o desconto integral, ou insitem em cobrar o ingresso pelo preço de inteira.

Segundo o CADE,  a liminar fora concedida pela 2ª Vara Cível e Relações de Consumo de Ilhéus/BA, pela Meritíssima Juíza de Direito, Drª Carine Nassri. Infelizmente, o desrespeito às decisões judiciais parece vir prevalecendo em Ilhéus. Somente uma ação mais enérgica poderá coibir tais abusos, se é que se pode falar em ação mais enérgica que uma decisão judicial no Estado Democrático de Direito.

Cadê o CODECOM? Aliás, em Ilhéus existe CODECOM? Você sabe onde ele está situado?

Zanata é o novo treinador do Colo Colo e já dirige o clube contra o Flu de Feira


O ex-jogador da seleção brasileira de futebol, Zanata, é o novo treinador do Colo Colo de Futebol e Regatas. O anúncio foi feito nesta terça-feira à tarde e ele já chega para dirigir o time contra o Fluminense de Feira, no domingo. "Estou feliz e chego para aplicar um trabalho voltado à dedicação e disciplina do grupo", afirmou. Zanata disse que o primeiro contato com os dirigentes do Colo Colo, que resultou no seu retorno ao comando da equipe, aconteceu "meio por acaso", no domingo passado, logo após o jogo contra o Vitória. "Acessei a internet para ver o resultado do jogo e em seguida liguei para a direção para parabenizá-la pelo feito. Não sabia o que tinha acontecido com o treinador Barbosinha. E na segunda-feira recebi uma nova ligação. Era o convite para eu assumir o grupo", afirmou.

Com o discurso político favorável aos interesses da atual direção, Zanata lembrou "o amor" que a diretoria tem pelo clube e já adiantou que apesar de manter, para o próximo domingo, o mesmo time que derrotou o Vitória, no Barradão, vai impor, a partir de agora, o seu método de trabalho. "Barbosinha é Barbosinha. Eu sou Zanata e tenho minha forma de trabalhar", disse durante entrevista exclusiva à equipe esportiva da Rádio Santa Cruz AM.

Roberto da Silva Pinheiro, o Zanata, tem 52 anos, é natural do Rio de Janeiro. Tem uma passagem como treinador do Colo Colo num momento delicado do clube, quando lutou contra o rebaixamento. Como jogador chegou à seleção brasileira e passou por grandes clubes do futebol nacional. Nas vezes em que foi experimentado como treinador, Zanata foi considerado um bom estrategista. Na Bahia, Zanata já treinou o Feirense e o próprio Colo Colo.

Ele também tem várias passagens folclóricas ao falar com a imprensa. Numa delas, ao elogiar o povo baiano, lhe é debitada a máxima de que “Na Bahia é todo mundo muito simpático. É um povo muito hospitalar.”
Fonte : Jornal Bahia Online

SEM GOZAÇÃO - Ronaldinho em Ibiassucê - Bahia

NÃO BASTA SER RASTA... COM MUITO AMOR NO CORAÇÃO... É PRECISO PARTICIPAR E DECIDIR SOBRE OS DESTINOS DA NAÇÃO E DO MUNDO! - Tribo de Jah - "Não Basta Ser Rasta" - A tribo roda a Jamaica / E cruza a ilha em toda a sua extensão / Muitas pedras na bagagem / segue viagem pro Maranhão / entra nas entranhas do Nordeste / Rasga a caatinga seca do sertão / Levando mensagens pelo agreste / Lembra as passadas de Lampião / O reggae é apenas entretenimento / Mas pode libertar mentes e almas / Dança e música com sentimento / Rolando sem ódio rolando sem trauma / Não basta ser rasta, / É preciso ser puro em seu coração / Não basta ser rasta, não / Pra obter graça é preciso perdão / Não basta ser rasta / É preciso estar certo da convicção / Não basta ser rasta, não / É preciso ser justo em sua razão (...)

HOJE É DIA DE REGGAE BRASILEIRO - Tribo de Jah toca "Ruínas da Babilônia" - Arquivo Radar Showlivre 2005 1/2

BAIANO DEVE TORCER PARA CLUBE DA BAHIA!


Na condição de professor de Educação Física é normal que, em determinados momentos das aulas, o tema Futebol tome o centro dos debates.  Sempre questionei a preferência de boa parte dos baianos pelos clubes do Rio de Janeiro, em detrimento dos nossos, da Bahia.

Quando isso foi tratado durante uma aula, muitos alunos tentaram justificar afirmando que os nossos times são pequenos e sem expressividade.  Disse-lhes então que esse não era um argumento válido, porque o “tamanho” e as conquistas de um clube são, em parte, dependentes do número de torcedores.  Ou seja, quanto maior o número de torcedores, maior o poder do clube, inclusive para contratar melhores jogadores e conseguir um maior número de títulos.  Em última análise, uma torcida numerosa significa dinheiro nos cofres do clube. Mais e mais empresas irão querer ser patrocinadoras e utilizarem as imagens do clube e de seus jogadores mais famosos. Queria, com isso, mostrar-lhes que, para um clube baiano ter expressividade no cenário nacional  será necessário ter um grande número de torcedores.  Disse-lhes que quando nós, baianos, torcemos para clubes de outros estados, estamos, digamos, “colocando a azeitona na empada dos outros” ou, como dizem alguns “regando a horta do vizinho”

A recente contratação do Ronaldinho pelo Flamengo é um bom exemplo do que digo. Claro que o Flamengo deseja que o Ronaldo Gaúcho jogue um pouco de futebol, mas isso não é o essencial.  O essencial mesmo é que ele seja um “bom garoto”. Que tenha um comportamento exemplar como profissional e cidadão. Ronaldinho é, hoje, a “galinha dos ovos de ouro” do Flamengo e das empresas patrocinadoras.
O Flamengo tem mais de 32 milhões de torcedores.  É a maior torcida do mundo. O segundo colocado é o Chivas de Guadalajara (México) com cerca de 30 milhões.



Bem... Vamos lá! Quanto será que o Fla vai receber pelas camisas vendidas  com o nome do jogador nos quatro anos de contrato?  Calculou?  Não? Difícil, né?  Até porque não sabemos quanto o Fla recebe por cada camisa vendida.  O que se sabe é que cada camisa está custando R$ 159,90.  Mas, calculando “por baixo”, digamos que 20% da torcida rubro-negra compre a camisa.  Cerca de 6 milhões e 200 mil pessoas, e que o clube receba R$ 10,00 (acredito que seja muito mais) por cada camisa vendida. Só esse negócio, dá uma “baba” de mais ou menos 64 milhões de reais.  E essa grana é toda do clube.  Considerando que o Flamengo só deverá pagar uma parte do salário do jogador  -  cerca de 400 mil por mês  -, o custo do Ronaldinho nos quatro anos será de cerca de 20 milhões.  E de onde vai sair o restante da “bufunfa” que o jogador recebe?  Perguntarão alguns.  Dos patrocinadores, claro.  E uma parte dessa grana dos patrocinadores também entra nos cofres do Flamengo.

É sabido que a Traffic, empresa que utilizará a imagem do Ronaldinho,  pagará ao Flamengo 21 milhões por ano. Eu disse, 21 milhões por ano, mais do que o clube pagará ao jogador no mesmo período!  O Flamengo já acertou com três empresas que pagarão outra parte do salário de Ronaldinho Gaúcho:  a montadora Volkswagen, a CCR, empresa que detém a concessão de diversas estradas paulistas, e uma subsidiária da Petrobrás utilizarão a imagem do jogador em comerciais como contrapartida pelo investimento.

Viram a importância de ter uma grande torcida?  Mesmo que Ronaldinho resolva se transformar num segundo Romário   – jogador que quando foi trazido de volta para o Brasil pelo próprio Mengo, caiu nas noitadas cariocas e envolveu-se em muita confusão, fazendo os patrocinadores caírem fora   –, ainda assim o clube sairá lucrando.

É por isso que vou morrer defendendo a tese de que baiano tem que torcer por clube da Bahia. Seja  Colo-Colo, Itabuna, Vitória, Bahia ou outro qualquer, desde que seja da Bahia! 

Souza Neto  -  Baiano e torcedor do Bahia.

Saiba mais sobre a Dengue e como prevenir

Para enfrentar o mosquito


A dengue pode ser mortal. Saiba como se prevenir contra o inseto que transmite a doença.







Onde mora o inimigo

A água limpa e parada é o criatório do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Os ovos depositados na água se transformam em larvas geralmente em garrafas vazias, pneus, caixas d'água sem tampa e vasos de plantas. É preciso cuidado também com calhas de telhado, piscinas, aquários, ralos e até tampinhas de garrafa ao ar livre.


À espera das chuvas
Os ovos do mosquito da dengue sobrevivem até dois anos mesmo em locais secos. As larvas podem surgir se o local for coberto por água limpa. Ao retirar a água de algum foco, é preciso lavar os recipientes com a ajuda de uma escova. Essa medida elimina as larvas e os ovos, que geralmente se fixam nas paredes desses utensílios.





Borra de café
Pesquisa do Instituto de Biociências da Universidade Estadual Paulista (Unesp) comprovou a eficácia da borra de café no combate às larvas do mosquito transmissor da dengue. Segundo o trabalho da bióloga Alessandra Laranja, as substâncias encontradas no café alteram as enzimas responsáveis pela eclosão dos ovos e proliferação das larvas. Ela recomenda o uso somente em vasos de plantas e jardins. Importante: só use borra de café preparado sem açúcar para não atrair formigas.


Como ele ataca
O mosquito pica apenas durante o dia, diferentemente do pernilongo comum. A dengue não é transmitida diretamente de uma pessoa para outra





Dengue ou resfriado?
A dengue tem sintomas parecidos com os da gripe, mas não iguais. Os primeiros sinais aparecem de três a quinze dias depois da picada do mosquito contaminado. Febre alta, dor intensa nas articulações, cefaléia, perda de apetite e desânimo são os sintomas mais comuns. Também pode ocorrer coceira no corpo. O que ajuda a diferenciar a dengue da gripe são manchas avermelhadas na pele, diarréia ou aumento do volume do fígado acompanhado de dores. A forma hemorrágica da doença apresenta os mesmos sintomas, mas com sangramento pelo nariz, aparecimento de hematomas na pele e sangramento nas gengivas.


A bomba no jardim
As bromélias são as plantas que mais oferecem condições para multiplicação dos mosquitos que transmitem dengue, mas eles podem proliferar também em outras plantas. A receita para evitar riscos:
Use uma solução preparada com 20 gramas de fumo de rolo picado fervido em 1 litro de água. Isso dá um eficiente larvicida. Deve-se derramar uma colher de sopa por semana no centro da bromélia.
Borrife uma solução feita com 2 mililitros de água sanitária por litro de água diariamente sobre qualquer tipo de planta.



O que fazer diante dos sintomas?
Procurar um médico ou posto de saúde. Não se tratar por conta própria. Existem remédios, como o ácido acetil-salicílico, que podem piorar os sintomas. Outros levam ao risco de manifestações alérgicas. Diante do diagnóstico de dengue, pedir ao profissional que notifique o caso para as autoridades. Beber bastante líquido.
Não é preciso seguir nenhuma dieta.
Repousar.

O que é dengue hemorrágica?
É a forma mais grave da doença, com sangramentos. Seu maior perigo é a queda acentuada da pressão arterial, que pode levar ao estado de choque. Esse tipo de sintoma será percebido logo nos três primeiros dias, assim que a febre começar a baixar. Também se deve ficar atento a dores no fígado, tonturas, desmaios, suor frio e fezes muito escuras. A dengue hemorrágica pode, em alguns casos, acontecer logo na primeira infecção.

Quantas vezes se pode contrair a doença?
Até quatro vezes, pois existem quatro tipos do vírus. Ao contrair cada um deles, a pessoa fica imune àquele tipo do vírus. A recuperação, porém, é total, sem seqüelas, e acontece aproximadamente dez dias depois dos primeiros sintomas.


Fontes: Fernando Martins e Terezinha Marta Castiñeiras/Centro de Informação em Saúde para Viajantes da UFRJ e Funasa
Fotos Frederico Ferrite/Oscar Cabral/Claudio Rossi/Jader da Rocha/
Jorge Butsuem/Marcelo Tinoco

UTILIDADADE PÚBLICA

COMO VAMOS NA PREVENÇÃO?


Não se pode perder uma guerra quando o inimigo é muito bem conhecido.  Conhecemos, inclusive suas "táticas de guerrilha". Sabemos do que ele gosta e o horário de seus ataques.  Por isso, população e agentes públicos de Ilhéus e Itabuna devem estar prontos para as ações preventivas necessárias para evitar as epidemias que tem ocorrido nos últimos anos.

 A DENGUE MATA!


Algumas informações técnicas:  Dengue é a enfermidade causada pelo vírus da dengue, um arbovírus da família Flaviviridae, gênero Flavivírus, que inclui quatro tipos imunológicos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4.[1]

As epidemias geralmente ocorrem no verão, durante ou imediatamente após períodos chuvosos, quando o mosquito aproveita-se da água limpa e estagnada para por os seus ovos. 


SAIBA MAIS SOBRE A DENGUE NA POSTAGEM ACIMA.